A GREVE continua!

O S.TO.P. à frente de mais duas Escolas (Filipa de Lencastre em Lisboa) e da AERT (Porto) onde a greve continua (das cerca de 200 escolas em todo o país):

“Há dinheiro para as parcerias público privadas, há dinheiro para as reformas vitalícias dos políticos (com direito a retroativos)…. E nós não estamos a pedir aumentos salariais, nem retroativos, estamos a pedir simplesmente que nos contem O TEMPO DE SERVIÇO QUE EFETIVAMENTE PRESTÁMOS NAS NOSSAS ESCOLAS“.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Difusão da Greve

O papel da Comunicação Social:

Hoje conseguimos reportagens na SIC notícias (anexo), TVI, RTP (jornal da tarde) e Porto Canal.

Difundiremos diariamente, a greve HISTÓRICA (já é a mais longa) de todos os colegas que continuam a defender a DIGNIDADE e os DIREITOS da classe, dos ataques que nos fizeram chegar até ESTE PONTO (tempo de serviço, precariedade, concursos injustos…) e dos que se SEGUIRÃO (municipalização, alterações ao ECD e CT…)!

Somos professores e continuaremos dar o EXEMPLO de cidadãos ativos democraticamente num Estado de Direito.

+ de 200 escolas em greve

Colegas, como sabem, a maioria dos principais Media, apesar dos esclarecimentos com provas enviados pelo S.TO.P. há vários dias, têm difundido erradamente que a greve dos professores terminou a 13 de julho.

Das informações que nos têm chegado já serão cerca de 200 escolas em todo o país a continuar a greve após 13 de julho (e ainda muitas outras poderão se juntar).

Para podermos fazer um comunicado de imprensa com uma lista das Escolas onde a greve dos professores continua (total ou parcialmente) após 13 de julho, precisamos que nos informem das escolas onde isso acontece (nos comentários a este aqui ou aqui).

Obrigado e JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

PÚBLICO noticia corretamente: GREVE!

Artigo no jornal Público, onde uma vez mais, reafirmamos a vontade de manter o pré-aviso de de 2 a 31 de julho. Já há muito que foram criadas as condições necessárias para a continuação da luta (desde fins de junho), para todos os que queiram continuar a mostrar ao ME o nosso profundo desagrado face às enormes injustiças de que somos alvo: https://www.publico.pt/2018/07/12/sociedade/noticia/sindicato-stop-mantem-greve-ate-ao-final-do-mes-1837796

Paralelamente, está a decorrer uma sondagem – independente (Blog de Arlindo) – para quantificar a vontade dos colegas em fazer a greve até dia 31 de julho. Apelamos à participação e, como sempre, estamos atentos a todas as sondagens independentes.

Resposta à campanha de contra-informação

Colegas, face a uma autêntica campanha de desinformação por muitos órgãos de comunicação, o S.TO.P. enviou esta manhã o seguinte esclarecimento (anexo).

Se quiserem, alguns Media, continuar a DESINFORMAR pelo menos já não podem dizer que não foram avisados (apesar de já ontem, no final da reunião de 11 de julho, o S.TO.P. ter já esclarecido essa questão a vários canais televisivos)…

Mas o código deontológico é muito claro sobre o que se deve fazer quando se veiculam informações erradas, como no ponto 5: “O jornalista deve assumir a responsabilidade por todos os seus trabalhos e atos profissionais, assim como promover a pronta retificação das informações que se revelem inexatas ou falsas.”

SERÁ QUE É O “VALE TUDO” PARA TENTAR PARAR A GREVE HISTÓRICA DOS PROFESSORES?

Código deontológico dos jornalistas:www.jornalistas.eu/?n=10011

Foto de S.TO.P.

Atenção: as mentiras continuam

Colegas, A GREVE CONTINUA LEGAL ATÉ 31 DE JULHO e. como aconteceu de 4 a 15 de junho, os professores podem aderir à greve em dias intercalados.

Temos sido avisados por colegas que alguns órgãos de comunicação estão a “informar” que o S.TO.P. está a pensar em desconvocar a greve até dia 31 de julho. ISSO É TOTALMENTE FALSO!

Como sabemos essa campanha de desinformação já aconteceu várias vezes contra o S.TO.P. (infelizmente não só através de alguns órgãos de comunicação social).

O que não é de estranhar, quando sabemos que alguns órgãos de comunicação social insistem em pagar a peso de ouro comentadores que, de uma forma contínua, têm feito uma campanha de ódio contra a nossa classe docente (mesmo quando de uma forma ostensiva esses comentadores mentem descaradamente).

HÁ MESMO MUITOS INTERESSES INSTALADOS QUE QUEREM QUE A NOSSA GREVE HISTÓRICA PARE.

Mas SOMOS PROFESSORES e não nos deixamos enganar assim tão facilmente (nestas últimas semanas têm caído muitas máscaras e já sabemos quem tem falado verdade e quem tem mentido à nossa classe).

Por isso colegas, NÃO CONFIEM em notícias “fabricadas/encomendadas” sobre o S.TO.P. e/ou a greve até 31 de julho.

Qualquer dúvida, venham à nossa página no facebook ou no nosso site: sindicatostop.pt/

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Ministério da Educação em NEGAÇÃO!

Sobre a informação do Ministério da Educação que refere que os Conselhos de Turma com disciplinas sujeitas a exame se terem todos realizado, o Sindicato de Todos os Professores – S.TO.P. – fez o seguinte comunicado junto do Jornal de Notícias e a agência Lusa (meio de comunicação social que divulgaram a informação do ME, procurando, mais uma vez repor a verdade:
 
” Ao contrário da informação veiculada pelo ME, e recentemente publicada, AINDA existem escolas onde há conselhos de turma do ensino secundário por realizar: inúmeras escolas com reuniões do 10º ano de escolaridade nessa situação (as quais nunca estiveram sujeitas as serviços mínimos) e várias escolas, com disciplinas sujeitas a exame, do 11º e 12º ano de escolaridade, como por exemplo (…). Também temos conhecimento que, em algumas escolas, a realização destes conselhos de turma, apenas aconteceram com recurso a ilegalidades, como por exemplo, com cem porcento de professores convocados durante os serviços mínimos (o Acórdão do Colégio Arbitral estipulava metade mais um), com professores em greve e propostas de classificação não ratificadas pela totalidade dos professores, pautas não assinadas por diretores de turma/secretários, entre outras situações irregulares um sem número de “criatividades”, que permitiram a saída de classificações que padecem de legalidade. “
 
Assistimos a mais uma TENTATIVA de desmobilização do ME, o qual não olhou a meios para obter ALGUNS resultados que agora procura globalizar.
 
Temos de continuar a não compactuar com a ilegalidade que procura furar a greve e esmorecer a justa luta dos professores.
 
Por isso mesmo propomos:
Manifestação em frente ao Me, dia 11 de julho, pelas 14h30;
– Continuar a greve até dia 31 de julho caso as nossas legítimas reivindicações nãos sejam atendidas de forma consensual entre os colegas.

Parabéns aos colegas no Alto Minho!

Fizeram-se ouvir junto do Ministro que – apesar de agendar as negociações com um intervalo de 8 dias -, esteve pelo menos ontem em Braga e, hoje, em Viana do Castelo numa iniciativa do PS local.

“Não fujas Brandão, nós temos razão…” foram algumas das palavras de ordem para o ministro e, para além do mais, os docentes questionaram a decisão de NÃO CONVOCAR o S.TO.P. para a negociação, junto da comunicação social, como a SIC. O ministro ficou em silêncio…


O nosso muito obrigado a TODOS os colegas em LUTA!

 

Entrevista ao canal Q

Hoje numa entrevista do S.TO.P. ao canal Q tentámos abordar vários temas relacionados com a nossa profissão (desgaste e envelhecimento docente, precariedade nos contratados e nas AEC,etc), relembrar que há dinheiro no país (mas sempre para os mesmos de sempte), o nosso caráter apartidário, denunciar a discriminação nas negociações, a iniciativa para amanhã, entre outros…

Estamos em GREVE e vamos CONTINUAR!

Hoje numa entrevista do S.TO.P. ao canal Q tentámos abordar vários temas relacionados com a nossa profissão (desgaste e envelhecimento docente, precariedade nos contratados e nas AEC,etc), relembrar que há dinheiro no país (mas sempre para os mesmos de sempte), o nosso caráter apartidário, denunciar a discriminação nas negociações, a iniciativa para amanhã, entre outros…Estamos em GREVE e vamos CONTINUAR!

Pubblicato da S.TO.P su Giovedì 5 luglio 2018