Resposta à campanha de contra-informação

Colegas, face a uma autêntica campanha de desinformação por muitos órgãos de comunicação, o S.TO.P. enviou esta manhã o seguinte esclarecimento (anexo).

Se quiserem, alguns Media, continuar a DESINFORMAR pelo menos já não podem dizer que não foram avisados (apesar de já ontem, no final da reunião de 11 de julho, o S.TO.P. ter já esclarecido essa questão a vários canais televisivos)…

Mas o código deontológico é muito claro sobre o que se deve fazer quando se veiculam informações erradas, como no ponto 5: “O jornalista deve assumir a responsabilidade por todos os seus trabalhos e atos profissionais, assim como promover a pronta retificação das informações que se revelem inexatas ou falsas.”

SERÁ QUE É O “VALE TUDO” PARA TENTAR PARAR A GREVE HISTÓRICA DOS PROFESSORES?

Código deontológico dos jornalistas:www.jornalistas.eu/?n=10011

Foto de S.TO.P.

Opinião de Santana Castilho

“Hoje, melhor, ainda ontem, ficou confirmado o que estava escrito nas estrelas. A plataforma sindical ajoelhou. E como a minha memória não prescreveu, é a terceira vez que ajoelha, desprezando a generosidade dos professores e permitindo que os seus representados continuem a ser calcados.

Entendamo-nos: os sindicatos existem para defender os interesses dos trabalhadores, sem pagar tributos a interesses partidários, muito menos a jogos palacianos que eternizam discursos ocos de resultados.

Comissão técnica para calcular os custos? Então o Governo não os aventou (é certo que aldrabando-os miseravelmente) repetidas vezes? Não os corrigiu recente e publicamente?
A FENPROF não os divulgou (em conferência de imprensa, pela voz de um dirigente seu), depois de os ter feito?
E que têm que ver os custos com a substância ética do cerne do contencioso?

Leiam o comunicado de imprensa, ridículo, do Governo, depois da reunião que decidiu a comissão técnica para … calcular os custos, onde se diz que … “os cálculos disponíveis indicam que não é possível a contagem integral do tempo”.

Oiçam a patética alocução de Mário Nogueira, falando aos professores reunidos na 24 de Julho.
Que palhaçada é esta, depois de tanta dádiva e sacrifícios?

Tirem então as vossas conclusões. A minha, expressou-a bem Almada Negreiros:
“Uma resma de charlatães e de vendidos, que só podem parir abaixo de zero!

Professor Santana Castilho (a 12 de julho de 2018).

Artigo completo aqui: https://www.facebook.com/notes/santana-castilho/um-flop-tão-grande-como-as-ondas-do-mar/1936659139717721/

Atenção: as mentiras continuam

Colegas, A GREVE CONTINUA LEGAL ATÉ 31 DE JULHO e. como aconteceu de 4 a 15 de junho, os professores podem aderir à greve em dias intercalados.

Temos sido avisados por colegas que alguns órgãos de comunicação estão a “informar” que o S.TO.P. está a pensar em desconvocar a greve até dia 31 de julho. ISSO É TOTALMENTE FALSO!

Como sabemos essa campanha de desinformação já aconteceu várias vezes contra o S.TO.P. (infelizmente não só através de alguns órgãos de comunicação social).

O que não é de estranhar, quando sabemos que alguns órgãos de comunicação social insistem em pagar a peso de ouro comentadores que, de uma forma contínua, têm feito uma campanha de ódio contra a nossa classe docente (mesmo quando de uma forma ostensiva esses comentadores mentem descaradamente).

HÁ MESMO MUITOS INTERESSES INSTALADOS QUE QUEREM QUE A NOSSA GREVE HISTÓRICA PARE.

Mas SOMOS PROFESSORES e não nos deixamos enganar assim tão facilmente (nestas últimas semanas têm caído muitas máscaras e já sabemos quem tem falado verdade e quem tem mentido à nossa classe).

Por isso colegas, NÃO CONFIEM em notícias “fabricadas/encomendadas” sobre o S.TO.P. e/ou a greve até 31 de julho.

Qualquer dúvida, venham à nossa página no facebook ou no nosso site: sindicatostop.pt/

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Sondagem independente reiniciada

Colegas, o S.TO.P. depois de ter sido alertado por vários professores que a sondagem dinamizada no blogue do Arlindo estava (erradamente) a permitir que a mesma pessoa votasse mais que uma vez, naturalmente avisámos o Arlindo e ele ratificou essa situação.

Consequentemente a sondagem teve que recomeçar do início a partir das 00h18 de hoje. Confirmem se o vosso voto foi antes dessa hora (se assim for, têm que votar novamente).

SONDAGEM disponível aqui: www.arlindovsky.net/2018/07/sondagem-sobre-a-greve-do-stop/

Quando diz “we have already counted your vote” já não considera esse voto.

VOTEM E DIVULGUEM entre os vossos/nossos colegas.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Sondagem Sobre a Greve do S.TO.P. – reiniciada às 00h18

NOTA: Por ter sido verificado que a votação não estava bloqueada por IP foi cancelada a sondagem anterior e iniciada esta nova sondagem às 00:18.

Colegas, como sabem, o Ministro da Educação não quis ouvir o S.TO.P., mas o S.TO.P. quer ouvir os professores!

Nesta reunião de 11 de julho, infelizmente, mais uma vez, o Ministro tenta enganar a classe docente apresentando uma “mão cheia de nada” (comissão técnica, promessa de negociações, etc.), em troca de pararmos a presente greve, uma luta histórica dos professores.

Se nos esforçámos tanto nesta luta, até aqui, será razoável pararmos, agora, colegas?

Como todos sabem, o S.TO.P. ousou iniciar esta greve, sozinho, a 4 de junho, por ter como referência sondagens independentes realizadas pelo blogue do Ar Lindo e do ComRegras e assim queremos continuar: a ouvir o sentir da nossa classe!

O S.TO.P. não pretende desconvocar a greve, até 31 de julho, mas, obviamente, terá em consideração o que a nossa classe docente manifestar, agora na sondagem que se iniciou esta noite no blogue do Ar Lindo: http://www.arlindovsky.net/…/sondagem-sobre-a-greve-do-stop/

Colegas, independentemente da vossa opinião sobre continuar (ou não) a greve até 31 de julho, participem e partilhem, massivamente, para que todos possam ser ouvidos.

JUNTOS SOMOS + FORTES e acreditem, colegas: se quisermos, NINGUÉM nos pode parar!


Nota: DÚVIDAS sobre a GREVE e as FÉRIAS: FAQs ou https://www.facebook.com/…/a.19370137366…/2016405498674262/…

Ministério da Educação em NEGAÇÃO!

Sobre a informação do Ministério da Educação que refere que os Conselhos de Turma com disciplinas sujeitas a exame se terem todos realizado, o Sindicato de Todos os Professores – S.TO.P. – fez o seguinte comunicado junto do Jornal de Notícias e a agência Lusa (meio de comunicação social que divulgaram a informação do ME, procurando, mais uma vez repor a verdade:
 
” Ao contrário da informação veiculada pelo ME, e recentemente publicada, AINDA existem escolas onde há conselhos de turma do ensino secundário por realizar: inúmeras escolas com reuniões do 10º ano de escolaridade nessa situação (as quais nunca estiveram sujeitas as serviços mínimos) e várias escolas, com disciplinas sujeitas a exame, do 11º e 12º ano de escolaridade, como por exemplo (…). Também temos conhecimento que, em algumas escolas, a realização destes conselhos de turma, apenas aconteceram com recurso a ilegalidades, como por exemplo, com cem porcento de professores convocados durante os serviços mínimos (o Acórdão do Colégio Arbitral estipulava metade mais um), com professores em greve e propostas de classificação não ratificadas pela totalidade dos professores, pautas não assinadas por diretores de turma/secretários, entre outras situações irregulares um sem número de “criatividades”, que permitiram a saída de classificações que padecem de legalidade. “
 
Assistimos a mais uma TENTATIVA de desmobilização do ME, o qual não olhou a meios para obter ALGUNS resultados que agora procura globalizar.
 
Temos de continuar a não compactuar com a ilegalidade que procura furar a greve e esmorecer a justa luta dos professores.
 
Por isso mesmo propomos:
Manifestação em frente ao Me, dia 11 de julho, pelas 14h30;
– Continuar a greve até dia 31 de julho caso as nossas legítimas reivindicações nãos sejam atendidas de forma consensual entre os colegas.

Dia 11 (4ª), 14h30 TODOS à frente do ME

Colegas, apesar do S.TO.P. não ter sido convidado para reunir com o Ministro da Educação a 11 de julho (ao contrário do que aconteceu dia 4 de junho), apelamos para que TODOS os professores participem em mais este protesto para pressionar o ME a RESPEITAR e a fazer JUSTIÇA a TODA a nossa classe docente (além de defendermos também a liberdade/democracia na Escola Pública).

Este protesto é histórico, não só porque é a primeira vez que um Ministro da Educação estará a reunir com sindicatos com um protesto à porta mas também porque, pela primeira vez, todos os sindicatos (plataforma sindical e o S.TO.P.) estão a mobilizar para a porta do ME durante esta reunião.

Por via das dúvida, o S.TO.P. já informou as entidades competentes para que, mais uma vez, este protesto esteja legalizado.

APAREÇAM colegas, JUNTOS SOMOS + FORTES!


Nota: Este cartaz foi adaptado (com autorização) do cartaz original e pioneiro criado pelo nosso colega Carlos Santos.
Como sempre fazemos no S.TO.P., não nos interessa quem tem a iniciativa, desde que esta seja positiva para a defesa da nossa classe.

UM POR TODOS E TODOS POR UM!

Foto de S.TO.P.

As mentiras continuam…

Colegas, HÁ MESMO MUITO MEDO QUE OS PROFESSORES DEIXEM DE TER MEDO E CONTINUEM COM ESTA LUTA HISTÓRICA.

Como sabem desde o início desta greve histórica que começou a 4 de junho que as mentiras foram muitas:
– primeiro diziam que o S.TO.P. não era um sindicato legal;
– depois diziam que quem fizesse greve antes de 18 de junho teria faltas injustificadas;
– depois que os pré-avisos de greve do S.TO.P. teriam que ser diários para permitir que os professores pudessem fazer greve em dias intercalados, etc,etc.

Agora que nos estamos aproximar da SEMANA DECISIVA, onde o ME pretende DESESPERADAMENTE desmobilizar a nossa greve histórica (desperdiçando todo o nosso esforço nas últimas semanas) as MENTIRAS CONTINUAM e tendem a aumentar.

Já tivemos conhecimento de várias mentiras por exemplo:
– que o S.TO.P. teria dito que não queria reunir mais com o ME;
– que se os professores não acabassem a greve dia 13 de julho não poderiam ir de férias;
– o S.TO.P. seria defensor do caos (ou de outras coisas que nunca defendemos) porque num dos muitos comentários que todas pessoas podem fazer livremente na nossa página do facebook (às vezes centenas num único dia) alguém defendeu isso (naturalmente os comentários individuais expressos livremente na nossa página do S.TO.P são da exclusiva responsabilidade de quem os faz);
– o S.TO.P. seria supostamente apoiado pelo ME/governo para dividir a classe docente;
– o S.TO.P. seria supostamente de extrema esquerda porque o Dr. Garcia Pereira (um dos maiores especialistas do país na área do direito laboral) ajudou a esclarecer algumas dúvidas jurídicas ao S.TO.P. e a 100 professores de Lisboa que participaram na reunião do S.TO.P. a 27 de junho;
– o S.TO.P. seria supostamente da área PSD-CDS porque o Professor Santana Castilho participou e interveio oralmente ao lado do STO.P. no protesto de dia 6 de julho à frente do parlamento;
– os protestos dinamizados pelo S.TO.P. não estariam legalizados e que quem participasse poderia ser preso;
– que as pessoas que dinamizam o S.TO.P. nem seriam professores, que querem vandalizar edifícios, que são traidores da classe, etc, etc.

SOMOS PROFESSORES e não nos deixamos enganar assim tão facilmente! E a nossa classe já percebeu quem é que MENTIU e quem disse a VERDADE nestas últimas semanas.

Por muitas mentiras que tentem lançar, O FACTO é que o S.TO.P. foi o único sindicato docente que:
– ousou marcar a greve às reuniões de avaliação dos anos de exame (de 4 a 15 de junho) tendo como referência várias sondagens dos blogues dos colegas comregras e De Ar Lindo em que participaram milhares de professores (e não nenhuma agenda partidária);
– sistematicamente para as suas principais iniciativas (luta contra o amianto escolar, luta em defesa dos colegas das AEC, presente luta, etc) enviou um convite oficial para todos os sindicatos/federações docentes para juntar forças (até hoje infelizmente nenhuma federação sindical sequer nos respondeu);
– não foi permitido indicar qualquer elemento a representar os professores no colégio arbitral (que decretou os serviços mínimos por unanimidade);
– não foi convocado pelo ME para reunir/negociar dia 11 de julho (assim se constata com quem é que o ME prefere reunir/negociar e em detrimento de quem).

Por muito que tentem diabolizar o S.TO.P., este novo sindicato é dinamizado por professores que estão diariamente nas suas escolas (com o mesmo número de turmas, vigilâncias, etc) do que antes da formação do S.TO.P..

ATENÇÃO colegas não acreditem em futuras mentiras (a imaginação desses “senhores” não tem limites), mas não duvidem, o S.TO.P. não irá desconvocar a greve até 31 de julho e qualquer dúvida venham à página oficial do S.TO.P. ou a https://www.facebook.com/SindicatodeTodososProfessores/ (não acreditem em eventuais SMS ou informações que digam que o S.TO.P. desconvocou esta greve).

Vamos continuar esta greve até 31 de julho porque as nossas vidas (e dos nossos familiares bem como as condições de aprendizagem dos nossos alunos) têm sido demasiado prejudicadas com as políticas deseducativas dos últimos governos e é tempo de dizer BASTA!

Dia 11 de julho, quarta-feira, às 14h30 TODOS à frente do ME (Av.24 de julho na esquina com Av. Infante Santo). Por via das dúvidas, o S.TO.P. já informou as autoridades competentes para a legalização de mais este protesto.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Parabéns aos colegas no Alto Minho!

Fizeram-se ouvir junto do Ministro que – apesar de agendar as negociações com um intervalo de 8 dias -, esteve pelo menos ontem em Braga e, hoje, em Viana do Castelo numa iniciativa do PS local.

“Não fujas Brandão, nós temos razão…” foram algumas das palavras de ordem para o ministro e, para além do mais, os docentes questionaram a decisão de NÃO CONVOCAR o S.TO.P. para a negociação, junto da comunicação social, como a SIC. O ministro ficou em silêncio…


O nosso muito obrigado a TODOS os colegas em LUTA!