O S.TO.P. prepara novo arranque para a luta

Colegas, temos lido alguns comentários a estranhar a “paragem” do S.TO.P., nomeadamente na convocatória de greves.

ATENÇÃO colegas, não podemos confundir o que S.TO.P gostaria, ou os nossos desejos pessoais, com a realidade em que se encontram as condições atuais da mobilização da classe, após a oportunidade desperdiçada em junho-julho, pela quase totalidade das organizações sindicais.

Já demonstrámos, inequivocamente, que somos um sindicato diferente e que, quando há condições de mobilização, conseguimos FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO em defesa da Escola pública.

NO ENTANTO NÃO SE FAZEM OMELETES SEM OVOS…
O S.TO.P. conta, quase exclusivamente, com as capacidades de mobilização da classe docente. Como organização sindical, para já, ainda temos uma logística incomparavelmente inferior aos sindicatos/federações tradicionais (alguns com centenas de funcionários exclusivamente para o trabalho sindical, enquanto o S.TO.P. continua com TODOS os seus dirigentes e ativistas com horário completo nas escolas).

Mas, neste momento, de menor mobilização na nossa classe docente, o S.TO.P. NÃO ESTÁ PARADO. Continuamos em defesa da nossa classe docente:

•a juntar forças em manifestações em defesa da nossa classe (ex: manifestação dos colegas lesados da segurança social em Braga, Celorico de Basto e agora, em novembro, no Porto);

•a auscultar colegas dentro e fora das escolas (temos estado e ido às escolas);

estudar a viabilidade e tentar concretizar algumas das propostas de luta que temos recebido desses colegas;

•trabalhamos em processo judicial contra o ME e alguns directores e ainda na impugnação à portaria de 3 de agosto;

•Reunimos com os diversos grupos no Parlamento (onde incluímos a defesa da ILC);

• Estamos a trabalhar para cumprir as exigências legais para a manutenção da nossa legalidade como sindicato (respondendo aos ataques de vários poderes instalados). SÓ ISSO PODERÁ GARANTIR QUE NO FUTURO, quando houver condições, A CLASSE DOCENTE POSSA VOLTAR A CONTAR COM O S.TO.P. para marcar as lutas que decidir (como aconteceu em junho/julho passado);

•respondemos às dúvidas de colegas (apesar de nesta fase nos ser impossível responder atempadamente a todas as largas centenas que recebemos e, por isso, para tentarmos ser maís céleres, criámos um email exclusivamente para associados).

O S.TO.P. prepara a sua organização para podermos dinamizar a luta necessária e mais forte pelos direitos e reivindicações dos professores.

Neste sentido, conseguimos uma parceria no apoio jurídico aos sócios com um dos mais experientes escritórios de advogados de direito laboral do país (Escritório Garcia Pereira).

O S.TO.P. não é sectário e por isso participamos em greves dinamizada por outros sindicatos docentes (nós, independentemente da nossa opinião sobre as greves convocadas por outros, não sabotamos qualquer greve de outros sindicatos).

Quando a classe voltar a mobilizar-se – e isso, mais cedo ou mais tarde, voltará a acontecer – mais uma vez se verá quem puxa a luta para a frente e quem puxa para trás.

O S.TO.P. sem logística quase nenhuma já fez o que fez em junho e julho de 2018, imaginem o que poderemos fazer se tivermos mais sócios/logística.

DÁ FORÇA (sindicaliza-te) a quem já demonstrou que não tem amarras a outros interesses sem ser aos professores.

A imagem pode conter: texto

NOVO APELO A RICARDO RIO PELA DIGNIFICAÇÃO DOS DOCENTES DAS AEC EM BRAGA

Hoje, em Braga, numa reunião de militantes do PSD com a presença de Rui Rio, recordei o apelo feito ao Presidente da Câmara Municipal, Ricardo Rio, para a dignificação dos docentes das AEC.
Vivem-se momentos de precariedade laboral e de instabilidade familiar.

A 19 de setembro, várias docentes das AEC estiveram presentes na reunião do Executivo Municipal e onde alertaram para a situação de fragilidade laboral em que se encontram.

Como representante do S.T.O.P., apresentei a solidariedade para com as colegas e exortei o edil a dar o exemplo lutando pela dignidade das AEC e fazendo diligências junto do Governo para o efeito.

Texto/créditos: Carlos Manuel Dobreira

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e interioresA imagem pode conter: 6 pessoasA imagem pode conter: uma ou mais pessoas, multidão e interiores

Governo transfere competências para municípios na Educação e na cultura:

Este governo/ME – mais uma vez apesar da sua narrativa – continua a atacar a Escola Pública, agora numa nova vertente (contrariamente ao que chegou a afirmar), quase em surdina. Continuamos a assistir à desestruturação de algo que se pretende de qualidade, livre e democrática para todos.

A municipalização da Educação que já ocorria em muitas escolas, começará com os funcionários não docentes mas, depois, direta ou indiretamente, serão também os professores, muito provavelmente – “sujeitos” aos interesses/vontades dos municípios. Sabemos bem o PERIGO que isso representa, não só em termos de uma (ainda) maior falta de verbas para as Escolas, como também para uma ameaça de favorecimento/jogadas/partidarização, dos concursos/seleção docente.

Somos CONTRA a esta ofensiva à Escola Pública: hoje são os funcionários não docentes, amanhã poderemos ser nós!

Aqui temos mais um exemplo da importância e da necessidade de JUNTARMOS FORÇAS na luta com os funcionários não docentes.

Só é preciso vontade e humildade…

(Aprovado em Conselho de Ministros: https://www.portugal.gov.pt/pt/gc21/comunicacao/noticia?i=governo-transfere-competencias-para-municipios-na-educacao-e-na-cultura)

 

Texto alt automático indisponível.

Novas da ILC

O S.TO.P. desde sempre apoiou a Iniciativa Legislativa Cidadã (ILC) em defesa dos nossos 942 (impulsionada, entre outros, pelos colegas do ComRegras).

Ajudámos a divulgar nas redes sociais, percorremos mais de 2400 km de norte a sul (durante a caravana em defesa da Escola Pública) também a recolher e a distribuir assinaturas/folhas da ILC e, mais recentemente, discutimos e defendemos a ILC com vários partidos no parlamento (CDS, BE e PSD).

Esta sexta-feira de manhã, 9 novembro, iremos reunir com o PCP e, mais uma vez, iremos defender a ILC e exprimir a nossa indignação perante tudo o que os responsáveis do parlamento fizeram à ILC e esperemos que finalmente respeitem a vontade de 21 800 cidadãos…

NÃO DESISTIMOS de lutar em todas as frentes (nas escolas, nas ruas, nos tribunais, no parlamento, etc) PELO QUE É NOSSO!

www.comregras.com/ilc-regressa-ao-parlamento-antes-do-fim…/…

Continua a luta dos professores lesados

Mais uma RECOMENDAÇÃO a favor dos professores?!?

Os professores não esquecem uma recomendação semelhante para contar todo o tempo de serviço (942) em janeiro de 2018…

Mais do que recomendações, sem consequências práticas, queremos resoluções/decisões que façam EFETIVAMENTE justiça à nossa classe docente.

Esta recomendação só torna ainda mais importante a seguinte petição (a que o S.TO.P. apoia desde o início) para corrigir o tempo de trabalho declarado pelas escolas à Segurança Social.

ASSINEM colegas:

Greve a 26 de outubro

Colegas,
entre junho e julho de 2018 o S.TO.P., tendo em consideração o que milhares de professores expressavam, dinamizou possivelmente a maior greve de sempre na Educação.Essa greve às avaliações teve tanto impacto que o M.E./governo tentou destruí-la por diversas vezes com várias ilegalidades e atropelos (questionando o direito à greve, férias e outras formas de intimidação). A situação foi tão evidente que até os inspectores denunciaram publicamente o M.E. Como é do conhecimento de todos o S.TO.P. foi intensamente caluniado não só pelo M.E. mas também por outros responsáveis. A classe docente podia ter ganho se outros não tivessem chegado tarde e partido tão cedo nesta importante batalha.Como “o que não avança recua”, os professores estão menos mobilizados agora. Isso é evidente nas iniciativas que todos os sindicatos docentes marcam (Iniciativas nacionais e regionais, Manifestação nacional de 5 de outubro, etc). Se dúvidas houvesse, temos o exemplo paradigmático da manifestação nacional de 19 de maio que teve mais do dobro dos professores a participar do que a recente manifestação de 5 de outubro… Por que será?

Neste contexto o S.TO.P. tornou público que, ainda mais do que o normal, seria necessário a classe docente juntar forças com outros sectores da função pública que também têm sofrido ataques semelhantes do mesmo governo. Este governo é altamente injusto mas é extremamente hábil a “dividir para reinar” e nos acreditamos que é fundamental romper com esta lógica divisionista entre trabalhadores que só favorece o governo (que continua unido nos seus ataques na Educação, Saúde, etc).

Nesse sentido convidámos há várias semanas as principais centrais sindicais CGTP e UGT (que englobam os sindicatos da função pública incluindo os principais sindicatos docentes) a reunir, nomeadamente para tentar juntar forças numa greve de vários dias para pressionar significativamente o governo (e não apenas um dia de greve), antes da aprovação na generalidade do Orçamento de Estado a 29 de outubro. Infelizmente, mais uma vez, como tem acontecido com os sindicatos/federações docentes, não nos responderam… Apesar desta postura, e como desde fevereiro de 2018, continuaremos de uma forma não sectária a convidar a juntar forças em defesa da nossa classe docente todos os sindicatos/federações docentes e não só.

Mesmo considerando-a insuficiente, apoiamos a greve da função pública de dia 26 de outubro (que engloba a classe docente). Em mais uma batalha importante entre o governo/M.E. Vs os trabalhadores/professores, o S.TO.P. não tem dúvidas de que lado devemos estar (se todos tivessem a mesma postura talvez o desfecho da greve às avaliações de junho/julho tivesse sido bem diferente).

Não desistimos e continuaremos a lutar pelo que é nosso (942), contra a precariedade docente (AEC, contratados, lesados da segurança social), contra as ilegalidades do M.E. e alguns diretores, etc.

Ajuda a renovar, rejuvenescer e refundar o sindicalismo docente, adere ao S.TO.P.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

A imagem pode conter: texto

Votação para o Encontro Nacional

Dia 8 setembro, sábado, ocorrerá um ENCONTRO NACIONAL de TODOS os professores onde discutiremos o estado da Educação em Portugal, a carreira docente e decidiremos qual o rumo a tomar perante os ataques das políticas (des)educativas do M.E.

A partir desta segunda-feira, 6 de agosto, iniciaremos a sondagem até dia 16, para que, uma vez mais, democraticamente, se escolha o local* mais pertinente para este espaço de decisão coletiva de TODOS os professores.

* As cidades pré-selecionadas devem-se às acessibilidades e/ou localização central e/ou capitais de distrito com mais associados, de forma a criar as melhores condições para garantir a presença de um maior número de colegas.

 

BOLEIAS para Coimbra – SÁBADO sessão com o Prof. Santa Castilho

O Professor Santana Castilho estará presente e está totalmente solidário com a nossa luta histórica, uma luta de professores para professores que estão nas escolas a dar aulas todos os dias.

https://www.facebook.com/…/a.19370137366…/2027707374210741/…

Todos que defendem a Escola Pública são bem-vindos e TODOS terão direito à palavra (como em todas as iniciativas do S.TO.P.).

Traz as tuas ideias, as tuas propostas e as tuas críticas construtivas para JUNTOS sairmos mais fortes para as batalhas do presente e do futuro!

JUNTOS SOMOS + FORTES!

100 escolas para já…

Colegas, do que temos sido informados, neste momento, já há mais de 100 escolas de todo o país onde a GREVE irá CONTINUAR (total ou parcialmente) após 13 de julho.

E sabemos que muitas outras escolas estarão a reunir hoje ou no início da próxima semana para decidir sobre a continuidade da greve e em que moldes (há escolas, por exemplo, onde os colegas decidiram focalizar a greve nos anos terminais).

Apesar de toda as calúnias e ilegalidades contra a continuidade desta greve histórica, que a se manter mais uns dias, inviabilizará EFETIVAMENTE a “normal abertura” do próximo ano letivo, milhares de professores continuam a dar uma grande lição de cidadania aos seus alunos, filhos e netos!

OS PROFESSORES JÁ SABEM QUEM LHES MENTIU E QUEM LHES DISSE SEMPRE A VERDADE desde o início desta greve histórica!

ESTÁ NAS NOSSAS MÃOS! Vamos fazer o que ainda não foi feito?

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.