Um sindicato docente não pode, nem quer ir férias, pelo menos no estado atual da dignidade da profissão docente!

Para além do acompanhamento dos elaborados processos jurídicos em curso – Providências Cautelares às duas notas informativas e processo conjunto contra o Estado -, continuamos incessantemente a denunciar junto da comunicação social a GREVE e as AÇÕES ILEGAIS do ME/Dgeste para travar esta luta histórica dos professores portugueses.

E sim, STOP ao ME, JUNTOS CONTINUAMOS MAIS FORTES!

Porto Canal: aqui

Sic: