Autoritarismo e reafirmação do pedido de demissão

Depois de justamente pedir a demissão da equipa ministerial e da dgeste em julho, como por exemplo aqui, continuamos incessantemente a denunciar à comunicação social o autoritarismo que norteia a ação do M.E.

Em detrimento da dignificação dos profissionais de Educação e da qualidade do processo de ensino-aprendizagem, agora sob a forma de prepotência legislativa, O M.E. em nada contribui para a estabilidade e qualidade, particularmente, do funcionamento dos Conselhos de Turma e consequente avaliação dos alunos.

 

 

 

 

 

Ponto da situação da greve e denúncia permanente

Um sindicato docente não pode, nem quer ir férias, pelo menos no estado atual da dignidade da profissão docente!

Para além do acompanhamento dos elaborados processos jurídicos em curso – Providências Cautelares às duas notas informativas e processo conjunto contra o Estado -, continuamos incessantemente a denunciar junto da comunicação social a GREVE e as AÇÕES ILEGAIS do ME/Dgeste para travar esta luta histórica dos professores portugueses.

E sim, STOP ao ME, JUNTOS CONTINUAMOS MAIS FORTES!

Porto Canal: aqui

Sic:

Denúncia do “vale tudo”

Colegas, apesar de todas as intimidações/ameaças, de todos os atropelos à lei e às mínimas condições pedagógicas no processo de avaliação, é impressionante como ainda há escolas onde MESMO ASSIM o ME não conseguiu ainda impor a lógica do “vale tudo”.

Todas as provas de atropelos à lei (ao direito à greve, às férias e aos procedimentos normais dos Conselhos de Turma, etc) enviem para s.to.p.juridico@gmail.com

Também enviem essas denúncias para a Inspeção Geral da Educação via email: igec@igec.mec.pt

Nos últimos dias, a atitude do “VALE TUDO” por parte do ME (contra direitos dos professores e contra avaliações verdadeiras dos alunos) fez com que FINALMENTE os principais Media (RTP, SIC, TSF, Rádio Renascença, Público, Expresso, etc) passassem a mensagem de que há avaliações fraudulentas com responsabilidade do ME e de alguns diretores.

Vários encarregados de educação (alguns que nem simpatizavam com a nossa greve) têm-nos contactado a dizer que o ME assim, revelou que afinal não está preocupado com os alunos mas apenas com a sua imagem de falsa aparência de que “tudo está bem e normal”.

A imagem do ME foi severamente afetada durante todo este processo.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Avaliações fraudulentas!

Colegas, perante avaliações fraudulentas (onde até se chegou a transferir automaticamente notas do 2°Período para o 3°Período), o S.TO.P. convocou hoje uma conferência de imprensa para denunciar a VERGONHA NACIONAL que está a acontecer na Escola Pública.

Depois do desrespeito total pelo direito à greve e às férias dos professores, o ME revela também um total desrespeito pelo trabalho dos alunos ao longo do 3°Período.

Se outros se calam perante a gravidade destas situações, o S.TO.P. inequivocamente continua ao lado dos direitos de quem trabalha na Escola Pública (professores, alunos, etc).

Alguns exemplos de denúncia na comuniação social:

https://sicnoticias.sapo.pt/pais/2018-07-27-Stop-denuncia-avaliacoes-fraudulentas-notas-do-2-periodo-afixadas-nas-pautas-de-final-do-ano

https://sicnoticias.sapo.pt/pais/2018-07-27-Stop-vai-processar-Ministerio-por-avaliacao-fraudulenta-dos-alunos

 

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Colegas, perante avaliações fraudulentas (onde até se chegou a transferir automaticamente notas do 2°Período para o 3°Período), o S.TO.P. convocou hoje uma conferência de imprensa para denunciar a VERGONHA NACIONAL que está a acontecer na Escola Pública. Depois do desrespeito total pelo direito à greve e às férias dos professores, o ME revela também um total desrespeito pelo trabalho dos alunos ao longo do 3°Período. Se outros se calam perante a gravidade destas situações, o S.TO.P. inequivocamente continua ao lado dos direitos de quem trabalha na Escola Pública (professores, alunos, etc).JUNTOS SOMOS + FORTES!

Pubblicato da S.TO.P su Venerdì 27 luglio 2018

Denunciem ilegalidades!

PEDIDO:

Precisamos, com urgência, de apurar quais as ESCOLAS onde se REALIZARAM ilegalmente REUNIÕES com base no quórum (artigo 29º, 3 do CPA), ou seja, com o CT INCOMPLETO, por greve de colega(s).

Deixem em comentário a esta publicação, ou se preferirem, ainda que seja mais trabalhoso para todos, por mensagem.

Todo o anonimato dos colegas será salvaguardado.

O MEDO vai mesmo MUDAR DE LADO!
Um por TODOS e todos por UM!

Foto de S.TO.P.

STOP às ilegalidades!

Colegas,
nas últimas 2 semanas professores de todo o país dinamizaram uma histórica greve. Como dissemos na conferência de imprensa do S.TO.P. à frente do parlamento dia 15 de junho, esta greve atingiu cerca de 400 escolas onde milhares de reuniões de avaliação foram adiadas.

Apesar das constantes mentiras contra esta greve, a sua dimensão e força foi tão forte que obrigou, em desespero, o ME (e alguns diretores) a cometer inúmeras ilegalidades que não passarão impunes. Aproveitamos mais uma vez para solicitar que enviem as provas (emails, fotocópias, fotografias, etc) de todas as ilegalidades para: s.to.p.juridico@gmail.com (obviamente que o anonimato será garantido).

Para já é denunciar à IGEC (email) e à Provedoria de Justiça (online)!
http://www.ige.min-edu.pt/content_01.asp…
https://www.provedor-jus.pt/?idc=52

Praticamente no momento em que acabou o 1º ciclo de greves (4 a 15 de junho), a ILC atingiu as 20 000 assinaturas! Desde que tomámos conhecimento, o S.TO.P. apoiou a ILC devido à sua importância e complementariedade (e não antagonismo) desta iniciativa com todas as lutas dos docentes.

O que reforça a necessidade de CONTINUARMOS a pressionar o ME (que rouba, mente, chantegeia e atropela a lei contra a nossa classe docente) nas escolas (com a nossa greve que vai continuar dia 18 de junho a TODAS as reuniões de avaliação) e também no parlamento (agora também com a ILC).

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.