Ponto da situação da greve e denúncia permanente

Um sindicato docente não pode, nem quer ir férias, pelo menos no estado atual da dignidade da profissão docente!

Para além do acompanhamento dos elaborados processos jurídicos em curso – Providências Cautelares às duas notas informativas e processo conjunto contra o Estado -, continuamos incessantemente a denunciar junto da comunicação social a GREVE e as AÇÕES ILEGAIS do ME/Dgeste para travar esta luta histórica dos professores portugueses.

E sim, STOP ao ME, JUNTOS CONTINUAMOS MAIS FORTES!

Porto Canal: aqui

Sic:

ME CONTINUA com as suas “pérolas”

– Responsável do ME no Norte afirma que um terço de onze são três… isto a propósito de num CT convocado para hoje, dia 30 de Julho, só estarem presentes três professores de um total de 11 por greve dos restantes. O ME queria que os três professores se assumissem como 1/3, mas os nossos colegas não tinham reprovado em matemática e por isso sabiam que eram precisos quatro para o falso quórum que o ME esta a impôr. A reunião deste CT continuou a não se realizar;

– Este ano há escolas a melhorar o seu sucesso educativo de uma forma inédita e vertiginosa. Pela primeira vez em 18 anos, em Carrazedo de Montenegro, TODOS os alunos do 2° ciclo foram aprovados

Para este ME continua o “vale tudo” para se realizarem reuniões de avaliação de “qualquer jeito” e a “qualquer preço”…

Não desistimos de denunciar as irregularidades e ilegalidades de um Ministério que devia ser de Educação.

“Vale tudo” e o exemplo de Seia

Colegas, já não há qualquer dúvida: o ME (e alguns diretores) estão a aplicar o “vale tudo” para ter pautas lançadas “de qualquer maneira“.

Tudo isso com recurso a intimidações e ameaças, com restrições claras ao direito à greve e às férias, violando princípios básicos do funcionamento dos Conselhos de Turma e desrespeitando totalmente os interesses e o trabalho dos alunos (recebemos até já provas de vários casos em que as notas do 2ºPeríodo foram automaticamente transferidas para o 3ºPeríodo!).

Colegas, todas essas e outras provas (de ilegalidades e intimidações) enviem para: s.to.p.juridico@gmail.com
(o S.TO.P. está já a trabalhar num processo conjunto contra o ME e alguns diretores).

Chegam ao cúmulo de questionar, desta forma, a decisão do próprio colégio arbitral com os seus serviços mínimos que terminaram a 5 de julho (se bastava um email da Dgest para resolver isto “a qualquer preço” porque o ME chamou o colégio arbitral em finais de junho?). O ME/governo PERDEU TOTALMENTE A FACE!

Nada ficará como antes porque a classe docente fez a maior greve na Educação em Portugal e testemunhou com quem pode (e não pode) verdadeiramente contar.

O S.TO.P. falou hoje à tarde com professores resistentes nomeadamente de Seia que, apesar de todas as pressões/ilegalidades, mantêm a greve (como em outras escolas).

Bem perto da nossa Serra da Estrela esses colegas são uma referência inspiradora e brilhante (juntamente com outras estrelas por todo o país) que iluminam uma sociedade/céu mergulhada numa escuridão (cada vez menos democrática e sem direitos elementares).

Não é essa a sociedade que queremos deixar aos nossos alunos/filhos e netos!

SOMOS PROFESSORES e não desistimos, nem desistiremos de lutar por uma Escola Pública de qualidade para todos e com democracia/liberdade!

Escolas Básicas de Seia continuam em GREVE apesar dos sindicatos afectos às grandes Centrais Sindicais – a UGT e a CGTP…

Pubblicato da Notícias de Seia su Mercoledì 18 luglio 2018

A greve mantêm-se, resposta em construção

O S.TO.P. na Tvi24 hoje, relembramos que há pelo menos outro sindicato de professores (dos Açores) que mantém a greve às reuniões de avaliação até pelo menos 27 de julho.

A nossa resposta de como a classe docente deve atuar a partir de dia 23 de julho perante mais uma tentativa ilegal por parte do ME (email da Dgest de 20 julho) será publicada até hoje ao final do dia.

A greve CONTINUA!

Continuamos juntos e JUNTOS SOMOS + FORTES!

O S.TO.P. na Tvi24 hoje, relembramos que há pelo menos outro sindicato de professores (dos Açores) que mantém a greve às reuniões de avaliação até pelo menos 27 de julho.A nossa resposta de como a classe docente deve atuar a partir de dia 23 de julho perante mais uma tentativa ilegal por parte do ME (email da Dgest de 20 julho) será publicada até hoje ao final do dia. A greve CONTINUA!Continuamos juntos e JUNTOS SOMOS + FORTES!

Pubblicato da S.TO.P su Domenica 22 luglio 2018

UNIÃO! Resposta em construção

Colegas, depois da nossa primeira sessão do S.TO.P. em Coimbra, a nossa resposta de como a classe docente deve atuar a partir de dia 23 de julho perante mais uma tentativa ilegal por parte do ME (email da Dgest de 20 julho) será publicada até amanhã ao final do dia.

A greve CONTINUA!

Continuamos juntos e JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Os DIREITOS não se suspendem!

Colegas, recebemos informações de alguns professores a quem diretores terão dito oralmente que “as suas férias estão suspensas”.

ATENÇÃO as férias são um direito de qualquer trabalhador e OS DIREITOS NÃO SE SUSPENDEM!

Quando estes colegas pediram aos diretores isso por escrito, até agora NENHUM diretor ousou fazê-lo. POR QUE SERÁ? Como todos sabemos, se é só dito oralmente não tem qualquer valor legal, logo o professor pode ir de férias legalmente (como já temos conhecimento de muitos colegas que o fizeram sem qualquer problema).

O que o diretor pode fazer legalmente é, invocando motivos excecionais, POR ESCRITO remarcar as férias individualmente de cada colega. Ou seja, ao alterar as férias individualmente para cada colega (SEMPRE POR ESCRITO) tem que nesse momento marcar as novas datas de férias, que pelo ECD terão no máximo que acontecer até início de setembro (para quem legitimamente não quer interromper as suas férias já planeadas em agosto, o S.TO.P. já entregou pré-avisos de greve até 10 de agosto e irá, caso seja necessário, gradualmente estender esses pré-avisos para todo o mês de agosto para, dentro do que nos é possível garantir, permitir que os professores em causa não tenham qualquer falta injustificada).

Ou seja, colegas, não se intimidem por “ordens” meramente orais/verbais. Peçam TUDO por escrito(vão ver que na esmagadora maioria dos casos isso não acontecerá porque o diretor tem consciência da sua ilegalidade como é o caso de tentar “suspender” as férias).

O S.TO.P. está a preparar um processo conjunto contra o ME e alguns diretores e continuamos a recolher todas as provas (convocatórias, atas, tentativas de suspensão de férias, etc) das inúmeras ilegalidades cometidas durante esta nossa greve histórica.

Todas essas provas enviem para: s.to.p.juridico@gmail.com

JUNTOS SOMOS + FORTES!


Mais informações sobre as férias e a greve do S.TO.P.: https://www.facebook.com/…/a.19370137366…/2016405498674262/…

Foto de S.TO.P.

Denunciem ilegalidades!

PEDIDO:

Precisamos, com urgência, de apurar quais as ESCOLAS onde se REALIZARAM ilegalmente REUNIÕES com base no quórum (artigo 29º, 3 do CPA), ou seja, com o CT INCOMPLETO, por greve de colega(s).

Deixem em comentário a esta publicação, ou se preferirem, ainda que seja mais trabalhoso para todos, por mensagem.

Todo o anonimato dos colegas será salvaguardado.

O MEDO vai mesmo MUDAR DE LADO!
Um por TODOS e todos por UM!

Foto de S.TO.P.