Ministério da Educação em NEGAÇÃO!

Sobre a informação do Ministério da Educação que refere que os Conselhos de Turma com disciplinas sujeitas a exame se terem todos realizado, o Sindicato de Todos os Professores – S.TO.P. – fez o seguinte comunicado junto do Jornal de Notícias e a agência Lusa (meio de comunicação social que divulgaram a informação do ME, procurando, mais uma vez repor a verdade:
 
” Ao contrário da informação veiculada pelo ME, e recentemente publicada, AINDA existem escolas onde há conselhos de turma do ensino secundário por realizar: inúmeras escolas com reuniões do 10º ano de escolaridade nessa situação (as quais nunca estiveram sujeitas as serviços mínimos) e várias escolas, com disciplinas sujeitas a exame, do 11º e 12º ano de escolaridade, como por exemplo (…). Também temos conhecimento que, em algumas escolas, a realização destes conselhos de turma, apenas aconteceram com recurso a ilegalidades, como por exemplo, com cem porcento de professores convocados durante os serviços mínimos (o Acórdão do Colégio Arbitral estipulava metade mais um), com professores em greve e propostas de classificação não ratificadas pela totalidade dos professores, pautas não assinadas por diretores de turma/secretários, entre outras situações irregulares um sem número de “criatividades”, que permitiram a saída de classificações que padecem de legalidade. “
 
Assistimos a mais uma TENTATIVA de desmobilização do ME, o qual não olhou a meios para obter ALGUNS resultados que agora procura globalizar.
 
Temos de continuar a não compactuar com a ilegalidade que procura furar a greve e esmorecer a justa luta dos professores.
 
Por isso mesmo propomos:
Manifestação em frente ao Me, dia 11 de julho, pelas 14h30;
– Continuar a greve até dia 31 de julho caso as nossas legítimas reivindicações nãos sejam atendidas de forma consensual entre os colegas.

Negociação com o ME (serviços mínimos)

Colegas, ontem o S.TO.P. recebeu um email “muito urgente” para uma reunião hoje com o Ministro da Educação (e os outros sindicatos docentes).

Essa reunião tem como objetivo a “negociação de um acordo quanto aos serviços mínimos e aos meios necessários para os assegurar” para a greve a TODAS as reuniões de avaliação convocada pelo S.TO.P. (mais uma vez dentro dos prazos legais) entre 2 a 31 de julho. Sobre isto queremos realçar o seguinte:

1. Isto demonstra inequivocamente que o S.TO.P. falou sempre verdade aos professores. Que não é obrigatório apresentar qualquer proposta de serviços mínimos nos pré-avisos de greve às reuniões de avaliação. E que naturalmente SE forem decretados serviços mínimos (existindo ou não acordo entre os sindicatos e o ME) estes teriam que ser do conhecimento dos professores ANTES do início da greve em questão;

2. Iremos manifestar a nossa incompreensão pelo ME ainda não ter respondido à nossa proposta (que entregámos no ME no passado dia 14 de junho para a resolução dos problemas que afetam professores e alunos), mas somos convocados COM MENOS DE 24 HORAS para uma reunião com o Ministro que visa NÃO RESOLVER OS TAIS PROBLEMAS, mas pretende apenas explorar formas de esvaziar o efeito da grande greve que os professores estão a realizar desde 4 de junho e que continua durante todo o mês de junho;

3. Por último, relembramos que TODOS os professores do S.TO.P. continuam com o mesmo número de turmas antes do surgimento deste sindicato. Não temos ninguém em exclusividade para o sindicato e estatutariamente somos o primeiro e único sindicato docente onde há mandatos finitos para os seus dirigentes (nunca teremos dirigentes eternos). Continuamos a dar aulas nas escolas e portanto os nossos interesses são EXACTAMENTE OS MESMOS da nossa classe docente. Não se preocupem, nesta e nas futuras reuniões, não abdicaremos de lutar com toda a força pelos direitos dos professores que estão todos os dias nas escolas.

UM POR TODOS E TODOS POR UM!

Foto de S.TO.P.

ME continua a confirmar a legalidade

ÚLTIMA HORA:
o ME reafirma que as faltas serão todas JUSTIFICADAS como em todas as greves.

O medo tem de mudar de lado: participem as ameaças à IGEC (email ao inspetor geral)!

COLOQUEM aqui as ESCOLAS onde a mentira não venceu!

ÚLTIMA HORA: o ME reafirma que as faltas serão todas JUSTIFICADAS como em todas as greves.O medo tem de mudar de lado: participem as ameaças à IGEC (email ao inspetor geral)!COLOQUEM aqui as ESCOLAS ondea mentira não venceu!

Pubblicato da S.TO.P su Mercoledì 6 giugno 2018