Conclusões das reuniões com os partidos políticos

Nos últimos dias, o S.TO.P. tem reunido no parlamento com vários partidos para auscultar as suas posições e fazer passar a nossa mensagem.

Ao nosso pedido durante o mês de outubro para reunir com os partidos com assento parlamentar (sobre a ILC e o OE) responderam-nos (por ordem cronológica) o CDS, PSD, PS, BE e o PCP. Até agora já houve reuniões com o CDS, PSD, BE e o PCP.

Os principais assuntos focados pela delegação do S.TO.P. foram a ILC, o OE e a questão do tempo de serviço docente apagado mas não nos esquecemos de reiterar, entre outros, os problemas da precariedade, da gestão não democrática e dos atropelos à saúde de docentes, alunos e funcionários (ex: amianto e má alimentação nas escolas).

Sobre a ILC e face às nossas informações, estranhamente, os vários partidos afirmaram desconhecer alguns dos entraves burocráticos à sua concretização, mas foram unânimes em considerar que, tal como está, a ILC não teria hipótese de aprovação.

Todos os partidos concordaram que a acção do governo tem carecido de transparência e responsabilidade pelas expectativas não cumpridas e pela recusa em responder a muitas questões. O executivo tem vindo a adiar a promulgação do decreto dos 2 anos para que entre em vigor apenas em 2019.

Os partidos em questão foram unânimes em considerar que cabe aos sindicatos (não aos partidos) negociar com o governo as modalidades dessa recuperação. No entanto o S.TO.P. não concorda e considera que tendo em consideração que é dos O.E. que é retirado os recursos financeiros que poderão contemplar todo o tempo de serviço efetivamente trabalhado pelos professores (9 anos, 4 meses e 2dias) teria todo o sentido que fosse no parlamento (através do O.E. de 2019) que se decidisse sobre esta importante questão para a classe docente.

Por isso expressámos o grande desacordo e desilusão que sentimos da classe docente face ao contributo decisivo do BE e do PCP na aprovação deste O.E. que não contemplou esta justa reivindicação dos professores (942).

 

Resultado de imagem para parlamento

Novas da ILC

O S.TO.P. desde sempre apoiou a Iniciativa Legislativa Cidadã (ILC) em defesa dos nossos 942 (impulsionada, entre outros, pelos colegas do ComRegras).

Ajudámos a divulgar nas redes sociais, percorremos mais de 2400 km de norte a sul (durante a caravana em defesa da Escola Pública) também a recolher e a distribuir assinaturas/folhas da ILC e, mais recentemente, discutimos e defendemos a ILC com vários partidos no parlamento (CDS, BE e PSD).

Esta sexta-feira de manhã, 9 novembro, iremos reunir com o PCP e, mais uma vez, iremos defender a ILC e exprimir a nossa indignação perante tudo o que os responsáveis do parlamento fizeram à ILC e esperemos que finalmente respeitem a vontade de 21 800 cidadãos…

NÃO DESISTIMOS de lutar em todas as frentes (nas escolas, nas ruas, nos tribunais, no parlamento, etc) PELO QUE É NOSSO!

www.comregras.com/ilc-regressa-ao-parlamento-antes-do-fim…/…

Continua a luta dos professores lesados

Mais uma RECOMENDAÇÃO a favor dos professores?!?

Os professores não esquecem uma recomendação semelhante para contar todo o tempo de serviço (942) em janeiro de 2018…

Mais do que recomendações, sem consequências práticas, queremos resoluções/decisões que façam EFETIVAMENTE justiça à nossa classe docente.

Esta recomendação só torna ainda mais importante a seguinte petição (a que o S.TO.P. apoia desde o início) para corrigir o tempo de trabalho declarado pelas escolas à Segurança Social.

ASSINEM colegas:

6 de julho a defesa da Democracia em Lisboa

Colegas, A GREVE CONTINUA e não podem ser decretados mais quaisquer tipo de serviços mínimos até 31 de julho (o pré-aviso do S.TO.P. já está em vigor e é de 2 a 31 de julho e qualquer serviço mínimo tem de ser decretado antes do início do período da greve). Os serviços mínimos terminam hoje (5 de julho).

VAMOS FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO?

6 de julho, às 10h, à frente do parlamento. Além do Professor Santana Castilho, TODOS os professores terão direito à voz.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Sondagem: 15 de junho, manifestação?

Colegas, considerando que:
1º. Dia 14 de junho, o S.TO.P. irá reunir novamente com o ME.

2º. Dia 15 de junho, o Ministro da Educação estará no parlamento e, nesse mesmo dia encerraremos o primeiro ciclo de greves às Reuniões de Avaliação.

3º. Há colegas de vários pontos do país que consideram importante marcarmos uma forte posição pública nesse dia no parlamento;

4º. Nessa concentração poderíamos aproveitar para realizar um plenário onde TODOS os professores teriam direito à voz e a voto (independentemente se são ou não sindicalizados) para discutirmos/decidirmos eventuais novas propostas do ME e a continuação da nossa luta.

Queremos saber a vossa opinião: PARTICIPARIA NUMA CONCENTRAÇÃO/PLENÁRIO À FRENTE DO PARLAMENTO DIA 15 DE JUNHO?

Ministro explica a trapalhada nas AEC

O Ministro da Educação vai ao parlamento na próxima quarta-feira, dia 23 de maio, para explicar toda esta injustiça/trapalhada que lesa milhares de docentes das AEC.
Esta é uma OPORTUNIDADE ÚNICA para TODO O PAÍS ouvir o PROTESTO LEGÍTIMO dos DOCENTES das AEC !

O S.TO.P. já CONVIDOU formalmente todos os sindicatos/federações sindicais docentes para discutirmos a possibilidade de juntarmos forças para uma grande concentração de protesto dentro e/ou fora do parlamento no próximo 23 maio.
Apesar das naturais diferenças que existem entre todos os sindicatos, se não nos UNIRMOS quando milhares de colegas nossos estão a ser empurrados para o desemprego prolongado, quando nos vamos unir?

Os docentes que concordarem que TODOS os sindicatos se devem unir RAPIDAMENTE em DEFESA dos docentes das AEC coloquem um “like” neste post (para ver quantos colegas concordam que isso aconteça).

Foto de S.TO.P.