Ponto da situação da greve e denúncia permanente

Um sindicato docente não pode, nem quer ir férias, pelo menos no estado atual da dignidade da profissão docente!

Para além do acompanhamento dos elaborados processos jurídicos em curso – Providências Cautelares às duas notas informativas e processo conjunto contra o Estado -, continuamos incessantemente a denunciar junto da comunicação social a GREVE e as AÇÕES ILEGAIS do ME/Dgeste para travar esta luta histórica dos professores portugueses.

E sim, STOP ao ME, JUNTOS CONTINUAMOS MAIS FORTES!

Porto Canal: aqui

Sic:

Greve em TODAS as notícias

Colegas, hoje a nossa justa luta abriu TODOS os serviços noticiosos e marcou vários periódicos!

E a palavra foi de TODOS: Das frases do ministro centeno, aos partidos, de quem suspendeu e de quem continua a GREVE!

– SIC notícias: https://www.youtube.com/watch?v=uPkRpedjDiE&feature=youtu.be

– Porto Canal: aqui

– Expresso: http://expresso.sapo.pt/…/2018-07-23-O-ministro-Centeno-tem…

– Público: https://www.publico.pt/…/sindicato-de-professores-que-mante…

– Diário de Notícias: https://www.dn.pt/…/professores-do-stop-acusam-centeno-de-t…

 

Publicaremos as restantes reportagens (RTP…)

A GREVE continua!

O S.TO.P. à frente de mais duas Escolas (Filipa de Lencastre em Lisboa) e da AERT (Porto) onde a greve continua (das cerca de 200 escolas em todo o país):

“Há dinheiro para as parcerias público privadas, há dinheiro para as reformas vitalícias dos políticos (com direito a retroativos)…. E nós não estamos a pedir aumentos salariais, nem retroativos, estamos a pedir simplesmente que nos contem O TEMPO DE SERVIÇO QUE EFETIVAMENTE PRESTÁMOS NAS NOSSAS ESCOLAS“.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Difusão da Greve

O papel da Comunicação Social:

Hoje conseguimos reportagens na SIC notícias (anexo), TVI, RTP (jornal da tarde) e Porto Canal.

Difundiremos diariamente, a greve HISTÓRICA (já é a mais longa) de todos os colegas que continuam a defender a DIGNIDADE e os DIREITOS da classe, dos ataques que nos fizeram chegar até ESTE PONTO (tempo de serviço, precariedade, concursos injustos…) e dos que se SEGUIRÃO (municipalização, alterações ao ECD e CT…)!

Somos professores e continuaremos dar o EXEMPLO de cidadãos ativos democraticamente num Estado de Direito.