8 VIGÍLIAS pelo país

Dia 2 de julho, em iniciativas simbólicas, marcadas com pouca antecedência e depois de um dia repleto de trabalho, participaram mais de 1000 professores em 8 cidades de todo o país! Mais uma vez a luta por RESPEITO e JUSTIÇA e, agora também, LIBERDADE/DEMOCRACIA na Escola Pública chegou à comunicação social (ver vídeos).

Esta sexta, a partir das 10h, na Assembleia da República iremos juntar colegas de todo o país e FAZER O QUE AINDA NÃO FOI FEITO! O professor Santana Castilho já confirmou presença e intervenção oral de apoio à nossa presente luta.

Só no Porto e Braga compareceram cerca de 700 colegas e estamos cada vez mais perto de conseguir uma cobertura condigna dos meios de comunicação.

Não podemos desistir e estamos prontos para continuar a LUTAR simplesmente PELO QUE É NOSSO!

https://www.jn.pt/nacional/interior/sindicato-que-desencadeou-greve-as-avaliacoes-acusa-ministerio-de-discriminacao-9558396.html

Foto de S.TO.P.Foto de S.TO.P.Foto de S.TO.P.

 

7 VIGÍLIAS (2 de julho)!

ATENÇÃO colegas, temos NOVAS CIDADES!

Todos os dias aderem mais colegas e já são 8 cidades contra este ataque ignóbil à liberdade/democracia na Escola Pública!

Simbolicamente, dia 2 de julho, para além de renovar a solicitação de negociação com o ME, neste primeiro dia dos chamados “serviços mínimos” iremos entregar uma coroa de flores e/ou realizar outros rituais fúnebres (idealmente vestidos de preto) perante a tentativa de assassinato da liberdade/democracia na Escola Pública:

– LISBOA, às 12h30, à frente do ME (Avenida 24 julho esquina com a Av. Infante Santo);

– LEIRIA, às 17h, à frente da Câmara Municipal;

– GUARDA, às 18h, à frente da Câmara Municipal;

– FARO, às 19h, à frente da DREALG;

– VISEU às 19h, à frente da Câmara Municipal;

– COIMBRA, às 20h, à frente da DREC;

– PORTO, às 21h, vigília à frente da DGEST;

– BRAGA, às 21h, à frente da Casa do Professor (na Avenida Central).

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Vigílias a 2 de junho

Colegas, perante a grande demonstração de força da nossa classe docente na presente greve – exigindo RESPEITO e JUSTIÇA para todos os docentes – o ME tenta agora questionar o nosso elementar direito à greve!

Ou seja, o ME/governo além de demonstrar um profundo desrespeito por todos os professores (com o seu roubo, mentiras, chantagens, etc…), agora pretende questionar um dos mais elementares direitos cívicos: O DIREITO À GREVE! E isso é um grave atentado, não só aos professores, mas a toda uma sociedade que se diz democrática e livre!

SE FICARMOS NEUTROS PERANTE UMA INJUSTIÇA, ESCOLHEMOS O LADO DO OPRESSOR!

Nesse sentido, o S.TO.P. faz um apelo público a TODA A SOCIEDADE (independentemente da profissão), a todo o movimento sindical (docente e não docente), comissões de trabalhadores, associações de estudantes, associações profissionais, movimentos cívicos (etc) que, perante este grave atentado aos direitos fundamentais de quem trabalha, NÃO FIQUEM NEUTROS e participem nesta iniciativa nacional de protesto, dia 7 de julho, às 15h à frente da chamada casa da democracia (parlamento).

HOJE ATACAM OS DIREITOS CÍVICOS DOS PROFESSORES (se nada for feito à altura) AMANHÃ PODERÃO ATACAR OUTROS SETORES SOCIAIS.


Simbolicamente, dia 2 de julho, para além de renovar a solicitação de negociação com o ME, neste primeiro dia dos chamados “serviços mínimos” iremos entregar uma coroa de flores e/ou realizar outros rituais fúnebres (vestidos de preto) perante a tentativa de assassinato da liberdade/democracia na Escola Pública:

– LISBOA às 12h30, à frente do ME (Avenida 24 julho, esquina Infante Santo);

– COIMBRA, às 20h, à frente da DREC;

– PORTO, às 21h, vigília à frente da DGEST.

Se houver mais colegas para ajudar a organizar algo semelhante à frente de outras direções regionais (em Portugal continental e ilhas) que nos contactem por mensagem privada que ajudaremos a divulgar/organizar.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

5 VIGÍLIAS dia 2 de julho

Colegas, simbolicamente, dia 2 de julho, para além de renovar a solicitação de negociação com o ME, neste primeiro dia dos chamados “serviços mínimos” iremos entregar uma coroa de flores e/ou realizar outros rituais fúnebres (idealmente vestidos de preto) perante a tentativa de assassinato da liberdade/democracia na Escola Pública:

– LISBOA às 12h30, à frente do ME (Avenida 24 julho esquina com a Av. Infante Santo);

– VISEU às 19h, à frente da Câmara Municipal de Viseu;

– COIMBRA, às 20h, à frente da DREC;

– PORTO, às 21h, vigília à frente da DGEST;

– BRAGA, às 21h, à frente da Casa do Professor (na Avenida Central).

JUNTOS SOMOS + FORTES!

Foto de S.TO.P.

Ação de protesto dos docentes das AEC na Dgeste

Porto (Dgeste), 10h de dia 23, os docentes das AEC dão o exemplo!
Um forte sinal de luta e determinação!

Agora mais do que nunca NÃO PODEMOS PARAR, cada vez somos MAIS e + UNIDOS!

A LUTA com os colegas das AEC

Colegas, nestes últimos dias o S.TO.P. ajudou a dinamizar e/ou divulgar reuniões de docentes por todo o país. E, apesar de ainda sermos um novo sindicato docente, desconhecido pela maioria da classe, a divulgação para as reuniões ter sido realizada com pouco mais de 24h (e de infelizmente nenhum outro sindicato docente ter ajudado a divulgar ou ter feito algo semelhante), é de realçar a participação dos colegas em várias cidades (só no Porto participaram 60 colegas).
Ou seja, OUSAMOS FAZER O QUE AINDA NÃO TINHA SIDO FEITO: dar oportunidade aos colegas para DEMOCRATICAMENTE discutir e decidir a melhor forma de se defenderem deste ataque ignóbil do ME.

Dessas reuniões várias decisões foram tomadas mas nesta fase realçaremos duas:

1º Vamos participar na manifestação de 19 de maio em Lisboa com uma faixa do S.TO.P. contra este roubo nas AEC (ponto de encontro às 14h no Marquês do Pombal à frente do Diário de Notícias);

2º A maioria dos colegas (85%) concorda em fazer greve até o ME recuar. Relativamente a esta questão, chegámos à conclusão que para aferir melhor a vontade real dos docentes das AEC para essa forma de luta inédita na Educação em Portugal, iremos realizar uma votação na página do S.TO.P. e, se em cerca de 7 dias, pelo menos 10% dos docentes das AEC manifestarem que concordam com essa forma de luta, o S.TO.P. iniciará as ações legais necessárias para esse efeito.
Essa votação começará ainda hoje nesta página do sindicato de tod@s @s professor@s – S.TO.P.

Partilha e divulga esta informação com mais docentes das AEC para que estes possam fazer ouvir a sua voz!

Foto de S.TO.P.