“Vale tudo” e o exemplo de Seia

Colegas, já não há qualquer dúvida: o ME (e alguns diretores) estão a aplicar o “vale tudo” para ter pautas lançadas “de qualquer maneira“.

Tudo isso com recurso a intimidações e ameaças, com restrições claras ao direito à greve e às férias, violando princípios básicos do funcionamento dos Conselhos de Turma e desrespeitando totalmente os interesses e o trabalho dos alunos (recebemos até já provas de vários casos em que as notas do 2ºPeríodo foram automaticamente transferidas para o 3ºPeríodo!).

Colegas, todas essas e outras provas (de ilegalidades e intimidações) enviem para: s.to.p.juridico@gmail.com
(o S.TO.P. está já a trabalhar num processo conjunto contra o ME e alguns diretores).

Chegam ao cúmulo de questionar, desta forma, a decisão do próprio colégio arbitral com os seus serviços mínimos que terminaram a 5 de julho (se bastava um email da Dgest para resolver isto “a qualquer preço” porque o ME chamou o colégio arbitral em finais de junho?). O ME/governo PERDEU TOTALMENTE A FACE!

Nada ficará como antes porque a classe docente fez a maior greve na Educação em Portugal e testemunhou com quem pode (e não pode) verdadeiramente contar.

O S.TO.P. falou hoje à tarde com professores resistentes nomeadamente de Seia que, apesar de todas as pressões/ilegalidades, mantêm a greve (como em outras escolas).

Bem perto da nossa Serra da Estrela esses colegas são uma referência inspiradora e brilhante (juntamente com outras estrelas por todo o país) que iluminam uma sociedade/céu mergulhada numa escuridão (cada vez menos democrática e sem direitos elementares).

Não é essa a sociedade que queremos deixar aos nossos alunos/filhos e netos!

SOMOS PROFESSORES e não desistimos, nem desistiremos de lutar por uma Escola Pública de qualidade para todos e com democracia/liberdade!

Escolas Básicas de Seia continuam em GREVE apesar dos sindicatos afectos às grandes Centrais Sindicais – a UGT e a CGTP…

Pubblicato da Notícias de Seia su Mercoledì 18 luglio 2018