Bipartidarização SEM EDUCAÇÃO

0
50

Apesar dos profundos problemas na Educação: milhares de alunos ainda sem professor desde o início do ano letivo, envelhecimento e falta crónica de Profissionais da Educação, avaliações artificiais e com quotas, salários de miséria para os não docentes, etc… Ontem, os Media (e os próprios candidatos), consideraram a Educação um tema de importância insuficiente para ser colocado no debate entre António Costa e Rui Rio.

Curiosamente, os mesmos Media que não consideraram a Educação suficientemente importante, são os que estão a querer reforçar a bipartidarização nas eleições legislativas.  

A QUEM SERVE A BIPARTIDARIZAÇÃO?

Essa tentativa de bipartidarização é evidente, nomeadamente, no destaque ímpar dado ao debate de ontem, onde tivemos o debate com muito mais tempo e, o único, em simultâneo para todos os canais generalistas, dando dessa forma um destaque “especial” aos partidos que têm governado o país (e a Educação) nas últimas décadas. E o resultado na Educação é manifestamente reconhecido, pelo menos, pelos Profissionais de Educação.

Cada Profissional da Educação saberá melhor que ninguém que avaliação faz dos partidos que se apresentam nestas eleições legislativas. No entanto, é importante relembrar que as eleições legislativas, ao contrário do que muitos media tentam fazer crer, são para eleger 230 deputados e não o 1.º Ministro (como ficou evidente nas eleições de 2015).

Também por isso devemos questionar a quem serve esta forte tentativa de bipartidarização…

Se a quem vive do seu trabalho ou a outros interesses?

Independentemente dos 230 deputados eleitos nas próximas eleições legislativas, o S.TO.P. continuará a pugnar por um sindicalismo realmente independente e democrático que, doa a quem doer, só responde a quem trabalha nas escolas. A nossa prática nos últimos anos, apesar de todos os intensos ataques que sofremos, é sinal de que é possível fazer diferente e assim continuaremos: JUNTOS SOMOS + FORTES!