CONVITE PARA JUNTAR FORÇAS A TODOS OS SINDICATOS/FEDERAÇÕES DOCENTES (enviado hoje por email).

0
2846

“Caros colegas dirigentes sindicais,

Como é público, no passado dia 17 de dezembro, após vários dias de forte greve/luta docente em todo o país, houve uma grande manifestação da classe com mais de 25 000 professores. Também saberão que, no final dessa manifestação, ocorreu um plenário onde foi aprovada a seguinte moção por unanimidade:

1.Manter todos os pré-avisos de greve (incluindo os de 19 a 31 dezembro 2022) até finais de janeiro de 2023 (durante todos os dias de janeiro desde 3 janeiro);

2.O S.TO.P. não assinará qualquer acordo/memorando com o Ministério da Educação (ME) sem auscultar democraticamente quem trabalha nas escolas;

3.Apelar/exigir mais uma vez a todos os sindicatos/federação docentes a juntar forças nesta luta/greve;

4.Apelar a que, consoante o grau de mobilização, democratica e colectivamente, em cada escola, se decida de que forma é que se fará a luta até finais de dezembro.

5. Realizar um Encontro Nacional de Luta de comissões de greve e de ativistas, no dia 27 de Dezembro, para organizar a greve durante o mês de Janeiro de 2023.

Importante referir que neste plenário, todos os docentes puderam falar e propor formas de luta diferentes (independentemente de serem do sindicato A ou B ou não sindicalizados).

Toda esta impressionante luta/greve tem motivado de forma inédita a nossa classe e aumentando a esperança que podemos ganhar. Por sua vez, o ME (e o governo) foram surpreendidos porque não estão habituados a formas de luta tão fortes decididas democraticamente por milhares de professores. Como é do conhecimento geral, queremos efetivamente negociar com o ME, mas temos compromissos claros: nunca assinaremos qualquer acordo/memorando com o ME sem antes auscultar democraticamente a nossa classe. Perante a dimensão desta luta, o Ministro, revelando um certo desnorte, já faz ataques pessoais a dirigentes sindicais.

É URGENTE UNIR TODOS OS PROFESSORES NA LUTA
Apesar dos nossos insistentes convites públicos (e formalmente por email) para juntar forças a todos os sindicatos/federações docentes inclusive para juntar forças à manifestação de 17 de dezembro, infelizmente ainda não recebemos qualquer resposta positiva desde 2018, nem qualquer contacto de nenhum sindicato/federação docente após a grandiosa manifestação de 17 de dezembro.

No entanto, vários dias depois dessa decisão democrática da manifestação/plenário de 17 dezembro tivemos conhecimento (a 22 de dezembro) nomeadamente através do site da Fenprof onde consta que: “Reiterando o apelo conjunto das oito organizações, a Fenprof considera que seria muito relevante que, a partir de 16 de janeiro, todas as organizações sindicais de docentes convergissem, por um lado não se pondo de fora da luta, por outro suspendendo as específicas.“. Também nesse mesmo dia em alguns media (por exemplo no jornal público) aparece a notícia: “Fenprof apela à “convergência de todos para “endurecer luta” em Janeiro. Apelo à união de todos os sindicatos tem data para se concretizar: 16 janeiro, dia em que se iniciará uma nova greve nacional”

A classe docente precisa saber, de forma inequívoca, se esse apelo:

1. Inclui (ou não) o S.TO.P.?

2. Se inclui, se estão a apelar ao S.TO.P. para “suspender” as suas ações de luta “específicas” a partir de 16 janeiro nomeadamente as aprovadas na manifestação/plenário de 17 de dezembro?

Esperamos que compreendam que a nossa classe docente precisa e merece que se fale claro e sem ambiguidades. Também por isso, o S.TO.P. sempre de forma clara e sem ambiguidades, juntou forças a iniciativas que a Fenprof e outros sindicatos têm dinamizado (por exemplo, na greve do SIPE de 4 outubro de 2021 ou a recente greve/concentração a 2 de novembro da Fenprof) e convidámos de forma clara todos os sindicatos/federações docentes (publicamente e enviando-lhes vários emails) a estar do nosso lado (com direito a intervenção) na manifestação nacional de professores de 17 dezembro (infelizmente não nos responderam).

Após tantos anos a perder direitos e a ser profundamente atacados e roubados, é fundamental unirmo-nos para lutar por um bem maior! O S.TO.P. como sempre, sem qualquer sectarismo, estamos disponíveis para juntar forças nas lutas que a classe se identifique e voltamos a convidar-vos para uma reunião urgente ainda durante esta pausa letiva.

Esperamos que desta vez nos respondam positivamente a este email/convite, ao contrário dos mais de 40 emails/convites que já vos enviámos desde 2018, para começarmos de forma cada vez mais unida a defender a nossa classe, tão maltratada e esquecida.

Saudações sindicais e que 2023 seja efetivamente um ano de mudança positiva para a nossa classe,

S.TO.P. – Sindicato de Todos os Profissionais da Educação”.

A partilhar com mais colegas e em grupos de professores: JUNTOS SOMOS + FORTES!