Pessoal não docente DESPEDIDO prejudica Escolas

0
116

Há Pessoal não docente de vários concelhos do país (por exemplo Assistentes Operacionais e Assistentes Técnicos) que estavam na iminência de entrar para os quadros a serem “descartados” a 31 de agosto de 2021. Esses profissionais da Educação irão ser substituídos por pessoas com menos experiência/formação algo totalmente irresponsável em particular num contexto de pandemia.

Esta situação além de ser profundamente injusta, sobrecarregará ainda mais os Profissionais em serviço (que terão que introduzir os recém chegados ao tipo de tarefa e às dinâmicas de cada Escola) quando continuamos com falta crónica de Pessoal não docente levando muitos destes à exaustão. Relembramos o papel fulcral que estes Profissionais da Educação (por exemplo os 1500 que entraram no início deste ano letivo e todos os outros a trabalhar desde 2017/2018) tiveram em período de pandemia, mantendo as escolas a funcionar (inclusive nas escolas de acolhimento que não fecharam). Também é relevante denunciar a total incoerência desta situação quando tanto se fala na importância da escola inclusiva e algumas destas assistentes operacionais despedidas têm sido um pilar para esse objetivo.

Apesar da narrativa do ME e dos poderes locais, mais uma vez estes revelam pouca consideração pelas nossas crianças/jovens que precisam cada vez mais destes Profissionais da Educação dada a pandemia e as suas consequências, como também precisam por exemplo de mais professores e psicólogos na Escola Pública. Não é realista querer recuperar efetivamente as aprendizagens dos nossos alunos quando se continua a desconsiderar TODOS os Profissionais de Educação.

 

IMPORTANTE: solicitamos a que todos os Profissionais de Educação que estejam nesta situação profundamente injusta que nos informem (S.TO.P.SINDICATO@GMAIL.COM) qual o seu Município/Escola para que tenhamos uma maior dimensão nacional deste problema e o possamos combater.

 

Já pedimos esclarecimentos urgentes às entidades responsáveis, denunciámos aos media e estamos disponíveis para dinamizar as lutas que esses colegas considerem adequadas contra esta profunda injustiça e irresponsabilidade no contexto da pandemia.

JUNTOS SOMOS + FORTES!

 

NOTA 1: O S.TO.P. em finais de julho passado já tinha denunciado o risco de isto acontecer: https://sindicatostop.pt/poder-central-local-tenta-despedir-pessoal-nao-docente-e-silenciar-sindicato-incomodo/

NOTA 2: Com esta confirmação, ainda mais pertinência tem o convite que o S.TO.P. dirigiu a vários sindicatos/federações e centrais sindicais para juntarmos forças em defesa de quem trabalha nas escolas: https://sindicatostop.pt/convite-a-todos-os-sindicatos-federacoes-docentes-e-as-centrais-sindicais/