PLENÁRIO NACIONAL ONLINE 14 março (aberto a sócios e não sócios)

0
2002

Colegas, o ME iniciou a abertura dos concursos 2021/2022 com significativas alterações de consequências profundamente negativas na vida de milhares de professores e das suas famílias.

Para cúmulo da desconsideração, para além de alterarem “as regras a meio/fim do jogo”, a nossa classe docente apenas foi informada com um dia de antecedência…

Vamos continuar a permitir sucessivos desrespeitos? Ou estamos dispostos a fazer o que ainda não foi feito por nós e pelas nossas famílias?

O S.TO.P. apresentará uma proposta de plano de luta para tentarmos travar as alterações profundamente injustas destes concursos e também queremos, como sempre, ouvir as vossas propostas de luta.

Por isso, e para podermos construir esse plano de luta o mais democraticamente possível, iremos realizar um Plenário Nacional online de docentes. Este plenário nacional será este DOMINGO, 14 março, às 15h (podem participar sócios e não sócios).

Quem quiser participar no plenário, basta que envie uma MENSAGEM com o assunto “Inscrição no plenário nacional 14 março”, com o seu nome completo e Escola (e indicar se é sócio) para o S.TO.P.SINDICATO@GMAIL.COM, até dia 13 março (inclusive).

Até às 15h, de 14 de março, todos receberão o LINK respetivo para poder aceder à reunião.

Proposta de ordem de trabalhos: O que podemos fazer para tentarmos travar as alterações profundamente injustas dos atuais concursos?

Para podermos avançar com uma luta minimamente consequente é fundamental que este plenário seja muito participado. Por isso, TODOS os colegas que se inscreverem devem tentar convidar outros colegas a participarem também: JUNTOS SOMOS + FORTES!

A PARTILHAR com mais colegas.

NOTA: Coerentemente com a nossa postura desde sempre não sectária, o S.TO.P. ontem, mais uma vez, convidou todos os sindicatos/federações docentes para reunir no sentido de juntar forças em defesa dos milhares de colegas profundamente prejudicados com esta situação. Obviamente que no plenário iremos transmitir se há mais sindicatos a querer juntar forças nesta luta por JUSTIÇA e RESPEITO.