PROPAGANDA não resolve problemas das Escolas

0
139

O ME tentou passar uma imagem de mudança positiva na Educação com a publicação das listas…mas será real?

  Menos horários disponibilizados

  • Confirmou-se que, apesar das resoluções da Assembleia da República, do presente e passado, o ME insiste em não disponibilizar horários incompletos aos docentes de carreira e, de forma inédita, não disponibilizou os horários para os colegas em pré-reforma (até dezembro de 2021). 

 

Continua a desconsideração pelos Professores Contratados

  • A propaganda refere que, no Concurso Externo, vincularam 2424 docentes, mas não refere que, comparando com o ano anterior, este ano houve MENOS 41% professores colocados pela contratação inicial. Também não refere que a média de IDADE é de 46 anos e que continuamos a ter muitos MILHARES de professores contratados com mais de 5 ou 10 ou mais anos de serviço. Continua-se a DESCONSIDERAR a situação de pré-rotura que o sistema educativo público se encontra com a falta de rejuvenescimento da classe docente.
  • Inexplicavelmente, continua-se a privar os Professores Contratados do direito a PERMNUTA de horários, o que constitui uma discriminação inaceitável, ao que o S.TO.P. já exigiu explicações e uma urgente retificação ao ME.

Injustiça mantêm-se na MI, mas de forma diferente a 2017

  • Ao contrário do que aconteceu nos concursos de agosto 2017, o qual gerou profundas injustiças a milhares de docentes, este ano houve medidas como o Plano 21/23+ e o crédito horário reforçado no âmbito do Plano de Recuperação das Aprendizagens, os quais parecem ter permitido pelo menos minorar o prejuízo a muitos professores. No entanto todos os professores que se sintam lesados devem realizar DENÚNCIA, nomeadamente através de recurso hierárquico e comunicar a denúncia para S.TO.P.SINDICATO@GMAIL.COM
  • Como não há qualquer garantia que estas medidas passem de TRANSITÓRIAS a permanentes (bem pelo contrário) o S.TO.P. continuará na linha da frente na defesa de Concursos docentes mais justos para todos.

UNIDADE É O CAMINHO para resolver problemas das Escolas

Apesar da propaganda, infelizmente o ME continua a não dar nenhum SINAL concreto de que pretende RESOLVER algum dos principais problemas das Escolas e da sustentabilidade do futuro da escola pública. Consequentemente o S.TO.P., além de continuar na primeira linha da defesa de quem trabalha nas escolas, estará sempre disponível, sem qualquer sectarismo, para juntar forças em defesa de quem trabalha na Escola (enviámos convite em finais de julho para todos sindicatos/federações docentes). Algumas das injustiças URGENTES que propusemos discutir com os outros sindicatos: avaliação não transparente e com quotas, concursos, precariedade, estrangulamento no acesso ao 5.º e 7.º escalões, passagem da CGA para a SS, envelhecimento e roubo de tempo de serviço dos Profissionais de Educação, gestão escolar não democrática, municipalização, entre outras.

Acreditamos que se todos os sindicatos/federações sindicais tivessem esta postura, as condições seriam muito melhores para quem trabalha nas escolas: JUNTOS SOMOS + FORTES!

https://sindicatostop.pt/convite-a-todos-os-sindicatos-federacoes-docentes-e-as-centrais-sindicais/